sábado, 25 de março de 2017

"O livro do ano", de Afonso Cruz

"O livro do ano"
Texto e ilustração de Afonso Cruz
Editado Alfaguara em 2015 (3ªed.)

Estas são páginas do diário de uma menina que carrega um jardim na cabeça, atira palavras aos pombos e sabe quanto tempo demora uma sombra a ficar madura.

Páginas feitas de memórias, para leitores de todas as idades.

Fonte: contracapa do livro


Começa assim:

Primavera
21 de Março

Fiquei à janela a ver a noite deitar
os pássaros nos ninhos.


26 de Março

Inventei uma máquina de chilrear: tem bico,
asas e penas. É muito parecida com um pássaro.

  



Fonte: interior do livro


 O Autor: Afonso Cruz

Além de escritor, Afonso Cruz é também ilustrador, cineasta e músico da banda The Soaked Lamb. Nasceu em 1971, na Figueira da Foz, e viria a frequentar mais tarde a Escola António Arroio, em Lisboa, e a Escola Superior de Belas Artes de Lisboa, assim como o Instituto Superior de Artes Plásticas da Madeira e mais de cinquenta países de todo o mundo.

Já conquistou vários prémios: Grande Prémio de Conto Camilo Castelo Branco 2010, Prémio Literário Maria Rosa Colaço 2009, Prémio da União Europeia para a Literatura 2012, Prémio Autores 2011 SPA/RTP; Menção Especial do Prémio Nacional de Ilustração 2011, Lista de Honra do IBBY – Internacional Board on Books for Young People, Prémio Ler/Booktailors – Melhor Ilustração Original, Melhor Livro do Ano da Time Out 2012 e foi finalista dos prémios Fernando Namora e Grande Prémio de Romance e Novela APE e conquistou o Prémio Autores para Melhor Ficção Narrativa, atribuído pela SPA em 2014.

Fonte: Wook

Livro recomendado pelo Plano Nacional de leitura para o 5º ano de escolaridade.


Obra disponível na rede de Bibliotecas do concelho de Arganil
Boas Leituras!

sexta-feira, 24 de março de 2017

"O Homem de água", um livro de Ivo Rosati

O Homem de água
Texto de Ivo Rosati e ilustrações de Gabriel Pacheco.
Editado pela Kalandraka em 2015 (2ª edição)

 Começa assim:

"Alguém tinha deixado a torneira aberta. 
O dono da casa nunca mais voltou, sabe-se lá por onde andaria. 
Talvez tivesse ido para as Ilhas Fiji; às tantas andava 
em busca de fortuna nas minas de ouro azul 
que dizem que há em África. 

Por fim, aconteceu que a água, ao acumular-se, transbordar, 
derramar-se por todo o lado, fez nascer um homem, 
um homem alto, azul, transparente e cristalino.

Um homem de água.

(...)"
Fonte: interior do livro



Conta quem viu o homem de água que o confundiram com uma poça, com uma fonte. Outros assustaram-se. Houve, inclusivamente, quem tivesse chamado a polícia ou quem o tivesse perseguido. Por onde passava, o homem de água deixava um rasto. Mas será que esta história terá mesmo acontecido ou não passará de uma lenda? 

Fonte: Wook


Fresco e generoso como o ser aquático que a protagoniza, esta história sensível e poética põe em relevo o valor da diferença e apazigua a sede de palavras, emoções e sensações dos leitores.
 Fonte: Kalandraka
Ilustrações de Gabriel Pacheco
Obra disponível na rede de Bibliotecas do concelho de Arganil
Boas Leituras!

O Homem e as Palavras: A vida do poeta Eugénio de Andrade

"O Homem e as Palavras: A vida do poeta Eugénio de Andrade"
Texto de Conceição de Sousa Gomes e ilustrações de Chico
Editado pela Ambar em 2009


Eugénio de Andrade gostava de dizer que a poesia portuguesa é um dos melhores produtos de Portugal, capaz de obter muito sucesso na exportação, como provam, entre outros, Camões e Fernando Pessoa.
Mas o próprio Eugénio, que já foi traduzido com êxito para mais de 20 línguas, pode provar tal afirmação. Só que isso não resulta apenas do milagre da poesia, resulta também de muito trabalho e atenção. Menino nascido com algum desconforto, discreto funcionário público, homem desinteressado de riquezas e triunfos mundanos, Eugénio de Andrade empenhou-se desde a adolescência em responder da melhor maneira à sua vocação de poeta, reflectindo sempre sobre a natureza e a condição humana, e esmerando-se na arte da palavra, que às vezes o levou a gastar horas só com um verso. Por isso deixou-nos uma obra limpa como a de um autor clássico, que nos ensina a amar as plantas ou as flores e os animais, o sol e a água, e que, sem deixar de lembrar o lado sombrio da vida, contém vigorosos apelos à plena realização individual e ao prazer de viver e de criar.

Fonte: Arnaldo Saraiva
Contracapa do livro



Recriação da biografia do poeta Eugénio de Andrade, esta narrativa procura aproximar o autor de As mãos e os frutos  (1948) do público infantil, dando especial ênfase à sua infância e juventude vividas na Beira Interior. As paisagens naturais que o cercaram e o afecto da mãe marcaram de forma indelével a personalidade do homem e a escrita do poeta que, desde muito cedo, se apaixonou pelas palavras e pela poesia. Reconhecido pela crítica e pelo público, autor de dois livros destinados aos mais novos, Eugénio de Andrade constitui uma figura incontornável da literatura portuguesa do século XX. Com ilustrações de Chico, recriando ambientes e paisagens, acompanhando o percurso do poeta, o livro dá conta dos lugares marcantes do seu percurso, desde a terra natal até ao Porto, passando por Coimbra. Não são esquecidas alusões e citações de poemas do autor nem as referências à sua paixão por gatos, espécie que o ilustrador também recria.


Por Ana Margarida Ramos
in www.casadaleitura.org


Ilustrações de Chico

Obra disponível na rede de Bibliotecas do concelho de Arganil
Boas leituras!

segunda-feira, 20 de março de 2017

Mariana e a missão Primavera, um livro de Sylvie Auzary-Luton

Mariana e a missão Primavera
Texto de Sylvie Auzary-Luton e ilustrações de Myriam Deru
Editado pela Minutos de Leitura em 2008

"A Primavera está quase a chegar e o Avô da Mariana decide fazer uma viagem. Ele confia à neta, a pequena Mariana, uma missão muito importante e especial: A Missão Primavera! Para cumprir a missão, ela terá de plantar umas sementes no seu jardim, seguindo as instruções que o avô lhe deixou. A Mariana fica muito contente e quer impressionar o seu avô com a flor mais linda do mundo!"

Fonte: Minutos de leitura


Começa assim:


Ilustrações de Myriam Deru


Livro recomendado pelo Plano Nacional de Leitura para a Educação pré-escolar

Livro disponível na rede de Bibliotecas do concelho de Arganil
Boas leituras!

sexta-feira, 17 de março de 2017

"Pê de pai", um livro de Isabel Martins

“Um
"Pê de pai"
Texto de Isabel Minhós Martins
Editado pelo Planeta Tangerina em 2009

"O pai é mesmo uma pessoa muito especial.
Capaz de se dobrar, desdobrar, encolher e esticar… um pai transforma-se, num passe de mágica, nos objetos mais incríveis.
Ou será que nunca repararam nos pais transformados que andam por aí?
Pais-cabides, pais-ambulâncias, pais-aviões, pais-sofás, pais-escadotes, pais-travões…
Basta abrir os olhos e observar. Um livro que olha de perto a relação de cumplicidade entre pai e filho. E que convida filhos e pais a descobrirem-se juntos ao virar de cada página.”

Fonte: contracapa do livro




Ilustrações de Bernardo Carvalho

Livro recomendado pelo Plano Nacional de Leitura para o Pré-Escolar
Obra disponível na rede de Bibliotecas do concelho de Arganil
Boas leituras!

quinta-feira, 16 de março de 2017

"Papá, por favor, apanha-me a Lua" de Eric Carle

Papá, por favor, apanha-me a Lua
Um livro de Eric Carle
Editado pela Kalandraka em 2010 (2ª ed.)

Começa assim:

"Antes de se deitar, a Mónica olhou pela janela e viu a Lua.
A Lua parecia estar muito perto.

“Queria tanto brincar com a Lua!”, pensou a Mónica. E tentou apanhá-la.

Porém, por mais que se esticasse, não conseguia tocar-lhe.

"Papá, por favor, apanha-me a Lua", disse a Mónica.



A Lua desempenha um papel muito importante na infância e é protagonista de muitas narrativas. Relaciona-se com os sonhos, com as aventuras e os desejos difíceis de concretizar. Eric Carle narra os tormentos por que um pai passa, para satisfazer o sonho da filha, e que o levam a escalar uma elevada montanha, entre outros esforços.




O principal atractivo deste livro reside no jogo de tamanhos e direcções que o autor propõe, e para o qual cria um original sistema de páginas que se desdobram em vários sentidos, segundo as exigências da cena: para os lados, para cima, para baixo, de dentro para fora e ao contrário; exigências essas que ultrapassam as dimensões do álbum, ao mesmo tempo que lhe imprimem movimento. Esta obra ajuda também os leitores a educar o olhar e a dirigi-lo na direcção ascendente, descendente, da direita para a esquerda, e vice-versa, adaptando-se ainda aos primeiros leitores sobretudo através da sua manipulação extremamente atractiva, que lhes facilita a abertura e o fecho das páginas.

Com o seu estilo inconfundível, baseado na técnica da colagem, Eric Carle escolhe uma proposta estética cheia de colorido.



O autor:

ERIC CARLE (Siracusa, Nova Iorque, 1929) Autor de mais de 70 álbuns, Eric Carle começou a ilustrar livros em 1967, depois de muitos anos a trabalhar como director de arte numa agência publicitária. 
Estudou na prestigiada escola de arte Akademie der Bildenden Künste, de Estugarda, na Alemanha, país para onde se mudou ainda em criança com os seus pais. Mas sempre quis voltar para a América do Norte, onde as melhores recordações da sua infância tinham ficado. Regressou em 1952, com um portfolio e 40 dólares no bolso, em busca de uma oportunidade que lhe chegou como designer gráfico para o “The New York Times”. 

O primeiro livro de sua completa autoria foi “1,2,3, to the Zoo” (1968), a que se seguiu “The Very Hungry Caterpillar”, publicado pela KALANDRAKA. Ao longo dos anos, foi galardoado com o Prémio da Feira Internacional do Livro Infantil de Bolonha (Itália), o da Associação de Livreiros Infantis e o da Associação Americana de Bibliotecas. 

Eric Carle disse: “Com muitos dos meus livros tento estender uma ponte entre o lar e a escola. A passagem de casa para o colégio é o segundo maior trauma da infância; o primeiro, certamente, é nascer. Em ambos os casos trocamos um lugar caloroso e protector por outro desconhecido. Acredito que as crianças são criativas por natureza e capazes de aprender. Nos meus livros tento conter esse receio, substituí-lo com uma mensagem positiva. Quero mostrar-lhes que aprender é realmente fascinante e divertido.”

Fonte: Kalandraka



Livro recomendado pelo Plano Nacional de Leitura para o Pré-Escolar

Obra disponível na rede de Bibliotecas do concelho de Arganil
Boas Leituras!

terça-feira, 14 de março de 2017

"Pais à escolha num centro comercial perto de ti" de Maria Inês Almeida

"Pais à escolha num centro comercial perto de ti"
Texto de Maria Inês  Almeida e ilustrações de Júlio Vanzeler
Editado pelos Livros Horizonte em 2012

“Dois irmãos órfãos procuram o pai e a mãe ideais num centro comercial muito especial. Aqui, distribuídos por várias lojas em 100 pisos, há pais para todos os gostos. Magros, altos, ricos, carecas, descontraídos, inteligentes…
Uns ralham, outros deixam as crianças comer doces... Uns até frequentam as aulas de Como ser um Super Pai. Mas, quanto mais montras veem, mais confusos os irmãos ficam."
Fonte: Wook



"Existem pais que escolhem os filhos. E se fosse ao contrário:
haver crianças a poderem escolher os seus pais?
Há pais gordos, magros, bons, maus, trabalhadores, 
preguiçosos, espertos, menos espertos, assim-assim,
pais contentes, pais tristes, pais que so pensam em si mesmos.
Há pais que se riem, há pais que gritam. Há pais carecas, 
com caracóis, barba ou bigode. Loiros, morenos, pretos
ou brancos.
Mas encontrar o pai e a mãe que se idealiza não é tarefa fácil..."

Fonte: contracapa do livro

Interior do livro, pg. 5

Livro disponível na rede de Bibliotecas do concelho de Arganil
Boas leituras!